Na Natureza Selvagem (2007)

Sabe aquele tipo de filme que mexe de verdade com a sua cabeça? Pois é, Na Natureza Selvagem (Into the Wild) foi um desses filmes pra mim… agora ele já faz parte da lista “filmes da minha vida“, ao lado de alguns outros que se tornaram pessoalmente importantes não apenas por seus roteiros brilhantes ou tomadas de cena inovadoras, mas por terem mexido de verdade comigo e com minha forma de pensar determinados aspectos da vida de maneira sincera e profunda.


Baseado em fatos reais, Na Natureza Selvagem, que tem roteiro e direção de Sean Penn, conta a história do jovem Christopher McCandless em sua busca por conhecimento e “iluminação”. Para tal, ele abandona sua família e tudo o que possui, partindo em uma jornada na sua maior parte em meio à natureza e distante de outros seres humanos. Inclusive podemos notar uma inquietação em seu estado de espírito em alguns dos momentos em que retorna, mesmo que de passagem, à “civilização”.

Quem me conhece há algum tempo sabe um pouco sobre meus próprios sentimentos a respeito da “sociedade”, dos seres humanos,  suas atitudes e relações e diversas outras coisas para as quais, muitas vezes, reajo de maneira radical e extremista. Pois esse é um dos motivos que, mesmo que eu não consiga explicar aqui em poucas palavras, me levaram a sentir tão tocado por esse filme.

Com atuações intensas, especialmente de Emile Hirsch (que interpreta Christopher), direção extremamente competente e segura e uma abordagem que não se rende à pieguice, Na Natureza Selvagem é um ótimo filme sobre, acima de tudo, a vida. Quando o protagonista descobre que “a felicidade só é real quando compartilhada”, minha maneira de ver algumas coisas já estava mudada para sempre.

Avaliação: 5/5